MANNULF O ULTIMO TITÃ

Mannulf nasceu sobre as circunstância de um ritual arcano, devido a uma gravides de risco, os xamãs da tribo de I-mir tiveram que intervir. Foi assim que nasceu o filho de Mogmar, irmão do líder da tribo dos I-mir, o filho varão tocado pela bênção de Surtur (O gigante de fogo) e descendente da linhagem do clan Mothars, foi assim chamado de Mannulf, recebendo as runas do homem e do Lobo para formar seu nome.

Apesar de ser da linhagem pura dos meio-Orcs, Mannulf era um humano, sua mãe era uma guerreira da tribo dos desertos de Simbius, herdando assim o mesmo tom de pele negra dos humanos que vivem no deserto. Seus olhos por outro lado, apresentavam um brilho dourado, o mesmo brilho que somente um semideus apresenta quando vem a terra. Este brilho no olhar foi atribuído como uma marca de Surtur, por falar nisso, seus atributos físicos eram dignos de um gigante, mesmo quando pequeno, já apresentava ter a força de 5 homens, e a medida que ia crescendo, sua força aumentava cada vez mais.

Quando alcançou 16 anos, Mannulf já era um homem feito. Sustentava o porte físico de um Orc com a tonalidade de cor de um carvalho, seus olhos atentos como o de uma raposa demonstrava uma astúcia sem igual. Porem nem todo seu poder poderia prepara-lo para o que aconteceu durante uma viajem de peregrinação ao templo dos Baiseikodans. Durante a travessia do deserto de Simbius, sua caravana foi atacada por um gigante, todos que não morreram ficaram gravemente feridos, entre estes, estava Mannulf.

Os sobreviventes deste ataque, foram resgatados por mercadores escravagistas do deserto. Os membros da tribo de I-mir foram vendidos como escravos gladiadores para o Reino de Samur Inill. Como se era de esperar a brutal tribo dos I-mir, sempre se destacou em todas as lutas que participaram, principalmente o jovem Mannulf, que acabou fazendo um amigo dentro da arena, seu mentor Edgar. Mannulf nutria em Edgar a mesma admiração que tinha por seu pai, Edgar era um meio-Orc firme e decidido, em sua forma de vida não avia espaço para dúvidas e fraquezas.

Mannulf atraiu a atenção da jovem donzela princesa Allundrill, a elfa conseguiu se aproximar do gladiador depois que o mesmo conseguiu impedir um atentado contra a vida do rei durante as batalhas na arena, Mannulf e Allundrill mantiveram um romance escondido, até que o príncipe Strindall descobriu.

20180304_043545

Anúncios

A tumba do cavaleiro de Brabeus

A tumba do cavaleiro de Brabeus Mostra suas aventuras ainda trilhando os caminhos das Terras Baixas, Aconselho você a fazer esta aventura acompanhando de grupo de aventureiros. pois as ruínas próximas das terras de Victor Nizard não devem ser subestimadas.

Esta é uma quest rápida porem apresenta níveis de desafios para personagens de Status premium. Boa Sorte!

ruins-in-the-forest-custom

O príncipe dos Bardos

Dados básicos: Nome: Saniel Cray Ravenwood

Profissão: Bardo e mercenário

Ambições: coração e admiração de todas mulheres e ver o fantástico para inspirar suas canções.

Armas: Alaúde (top++), karamblade (alma de um lorde demônio aprisionada dentro e condenada a servir mil heróis à cumprir seus destinos).

Arco de simetria atômica (adentra a vítima pela falha entre os átomos), na verdade apenas fura mesmo o coitado, mas a explicação científica e pomposa assusta mais.

Terceiro filho o Rei elfo Andarium Ravenwood, Saniel não tem intuito de assumir responsabilidades reais para com a corte, visto que nunca chegará a ocupar lugar de destaque como MAGESTADE, já que terceiro na linha sucessória é uma enorme distância e uma juventude inteira custaria em espera. Assim, ele parte para terras desconhecidas e ouve histórias de um guerreiro que foi capaz de derrotar sozinho num dragão e decide ir averiguar e compor uma canção em cima disto (história do Dragão Escarlate).

“canções criadas: Canção do ridículo, canção do paladino (seu sangue é mais forte que apenas isso), canção para a amada (uma chance para amar), canção de duelo (O meu é maior), canção do expurgo (vá e mate todos), canção raiar do sol (clérigo vs mortos vivos), Canção da tormenta (o mago para-raios), Canção Irada (estouro berserker), Canção solinho seu chato (mago de meia tigela mudo é você).

Por enquanto apenas Saniel conhece e usa estas canções. Isso faz com que ele seja conhecido como “o gênio da composição de canções bardas”.

55851805

A historia do semideus da Luz

A Luz Eterna

Um dia procurei encontrar por meus pais, as lendas em torno deles e o porquê deles não me procurarem. Por anos pesquisando em templos esquecidos e lendas em livros antigos e empoeirados de bibliotecas pouco visitadas, descobri que minha busca estava fadada ao fracasso. Isso até me tornar um Paladino da elite da Luz e descobrir a verdade sobre um elfo que começou sua jornada ainda jovem sem conhecimentos sequer sobre religião. Em livros ilustrados e com pessoas muito velhas e sábias, descobri finalmente o passado daquele que por muito tempo não acreditei existir, meu pai. Aphros Mallakron, o elfo paladino nascido em Balmor treinou com paladinos diversos até aprender tudo o que sabiam, mas para ele sempre faltava algo. No início ele participava de um grupo que caçava por aventuras e dinheiro. Mas assim que Aphros percebeu o lado maligno e de caos que havia surgido em alguns de seus colegas na busca por poder, ele fundou o Clã Mallakron e se tornou um paladino determinado a enfrentar todo o mal possível. Mas o paladino não sabia que seu primeiro inimigo não era uma criatura, mas sim, seu medo. Quando viu uma criança agarrada em uma árvore durante uma tempestade de ventos arrasadores e uma chuva intensa, um tornado se formou atrás da árvore. Com um pingo de dúvida sobre salvar a criança ou se salvar, ele juntou sua fé, chamou por Kasarim, a grandiosa Titã dos ventos, por quem era devoto, e correu fervorosamente na direção do pequeno humano que apertava o galho com força na esperança de permanecer ali, sem voar pelos ares. Aphros Mallakron não era forte, mas era regido por uma sobrenatural força de vontade, e, a usando ele abraçou o garoto e firmou-se na árvore. O tornado passou por por eles e arrancou a árvore do solo arremessando-os para longe. Ele viu uma silhueta que em pleno ar os acompanhou, mas pela confusão de ventos, chuva e movimento pelo arremesso ele não conseguiu discernir quem ou o que era. Horas depois ele acordou desmaiado ao lado do garoto, os dois muito feridos. Usou sua fé para curar a criança e neste momento ele percebeu o quanto precisaria ser forte para enfrentar qualquer coisa para salvar as pessoas que precisassem da sua ajuda. Nas suas buscas por conhecimento, poder e querendo proteger o máximo de pessoas que lutavam contra as trevas, ele teve que fazer amizades temporárias com alguns que jurou destruir, pois buscavam por derrotar criaturas semelhantes. Porém, Aphros aprendeu que necessitava de inimigos vivos.
Poupou vários deles para manter o que ele chamava de “equilíbrio”, nunca consegui entender o porquê disso! Com o tempo, buscando financiar seus estudos e espalhar seu conhecimento, escolheu a cidade de Angra para criar uma loja que por muito tempo foi administrada por ele mesmo, com materiais que ele criou ou encontrou em suas aventuras. Mas após anos, sua loja se tornou um museu por conter uma rica história por de trás daqueles artefatos lá guardados. E foi neste museu que encontrei o que havia duvidado ser possível, chifres de unicórnio e ossos de dragões de várias espécies. Com esses materiais ele forjou as espadas gêmeas que destruíam todas as criaturas malignas que ousassem cruzar seu caminho. Uma pessoa normal não poderia usar seu potencial já que apenas seu dono conseguia fazê-lo. Um dia gostaria de saber onde estão essas espadas. Em falar nessas espadas, ele pode ter escondido elas junto de seu reino escondido. Um dia ele se apaixonou por uma meia-dragão chamada Hikari. Por terem pensamentos em comum, fundaram a misteriosa cidade de Dormakhester. Protegida por uma série de labirintos em meio à uma floresta densa, seu acesso era apenas possível pelo ar. Nos poucos livros que citaram Dormakhester pude notar a beleza que havia lá. Haviam guardas montados em brilhantes e nunca vistos Dragões Celestiais. Uma espécie que apenas ali vivia. A cidade era harmoniosa e autossuficiente, mas como nada é perfeito, os minotauros e centauros da região entraram em guerra contra a cidade alegando invasão de território. Seja como for, a cidade sofreu baixas algumas vezes pois os minotauros, principalmente, conheciam a floresta densa como jamais um elfo da guarda conheceu. Dormakhester ainda permanece uma incógnita para muitos estudiosos, pois sua localização nunca foi revelada, apesar dos boatos de pessoas a terem visitaram. Nada comprovado. Em sua jornada, Aphros encontrou um templo onde sua fé foi testada e Kasarim finalmente apareceu e conversou com ele. O paladino descobriu que a Titã havia aparecido várias vezes durante a vida dele e que ele havia sido protegido por ela, inclusive salvando ele e a criança do tornado. Ela observou por anos até descobrir que ele deveria ter desafios maiores e que seu fiel paladino buscasse por reputação espalhando o nome da Titã por onde fosse. Ela o concedeu uma benção que poderia ser também o fim da vida normal de Aphros e Hikari. As missões por Kasarim lhe tomaram muito tempo e a última foi justamente derrotar Tiamat! Hikari e Aphros se juntaram e derrotaram em uma batalha épica o dragão que se julgava impossível derrotar. Porém, Hikari
foi gravemente ferida e morreu após a batalha. Ela se desfez como mágica no ar lentamente. A fúria do elfo foi diminuída ao chegar a Dormakhester quando soube que sua amada havia lhe deixado um filho pouco antes de sair para a batalha. Como ele não estava na cidade quando ela saiu, ele não poderia esperar tal surpresa. Em um certo dia, Aphros deixou a cidade e nunca mais retornou, a cidade sumiu de qualquer história e o paradeiro de seu filho se tornou desconhecido. Sabe-se que ele teve um encontro com Órion, o Titã da luz, que notando os feitos do paladino e seus esforços para derrotar as trevas, deu-lhe de bom grado a chance de se tornar um ser mais próximo deles, para combater com mais eficácia o mal que se alastrava e crescia em um lugar divino. Porém, inesperadamente o paladino negou gentilmente o convite. Aphros julgava necessária sua presença ali, com os mortais. Cresci escutando lendas sobre o elfo paladino da Elite da Luz que se tornou um semideus, que todas as criaturas malignas que se aproximassem do templo que ele criou nas nuvens eram destruídas por simplesmente se aproximarem. Havia uma magia imbatível que destruía os seres das trevas mais poderosos que tivessem a coragem de enfrentar o semideus. Por conta de nenhum ser vivo tê-lo visto, pois sua presença transbordava em uma luz cegante, ficou conhecido como Aphros, O Semideus da Luz. Ainda hoje há os que seguem os ensinamentos dele, e, por isso, lidero um grupo usando também o nome Mallakron, somos guiados diretamente pelo semideus, meu pai. Ele me levou a Lungra e lá cresci sem saber da verdade que agora conheço, sei que estará nos guiando, mesmo que ele prefira não se revelar. Por isso tenho que desvendar sua história e… a minha.

Kaliel, Elfo Alado Fênix Inquisitor da Elite da Luz Líder do Clã Mallakron

Angels__Michael.jpg

A Lenda de Motaro

Este relato foi encontrado junto as ruínas da tribo dos Mothars. Conto escrito em pedra, que provavelmente conta o inicio da historia do lendário Orc que deu origem a raça dos Meio-Orcs.

” Nascido no interior de um vulcão parido num veio de lava corrente, Motaro cresceu um orc puro de sangue que foi abençoado por Surtur o Gigante de fogo. Por toda sua vida vagou pelo ermo em busca de algo que fizesse sentido para sua vida, lutou em diversas legiões, mas a que mais se destacou foi a Brigada Branca. Carrega nos ombros o peso de várias mortes, Sempre buscando um novo sentido para seu eu….”

Nem todas as pedras foram traduzidas, algumas estão desgastadas de mais para transmitir algum conhecimento sobre este Orc que enfrentou e ganhou o respeito de um dos 7 titãs.

lineage_orc_by_apulanta

Imortais e Escarlates

Raros temidos e imortais, as criaturas escarlates são identificadas por dois fatores únicos. a marcante coloração vermelha escarlate e sua incrível capacidade de recuperação. tornando-os quase que praticamente imortais. Existe dois relatos de seres escarlates reconhecidos nas terras de Aeternus, vem do Dragão Escarlate das terras altas de Astaroth e JedanDuble o Titã regente do caos.

O Dragão Escarlate foi uma criatura dracodemoniaca, possuindo assim características draconicas e demoniacas, porem desprovida de seus defeitos. Toda vez que recebia um ataque fatal, regenerava em poucos segundos todos os ferimentos sofridos. Era o último conhecedor do encantamento “Encarnação.” Lutou ao lado de outro Dracodemon chamado Valkmor, ajudando ele a conquistar toda Terra-alta. com o aprisionamento de Valkomor o Dragão Escarlate assume a posse do continente. Teve seu fim nas mãos do aventureiro Ben Ank, que tomou o trono dos dois Herdeiros do Dragão, Draco e Luka.

JedanDuble era um príncipe elfo do antigo reino de Antares, possuía pele vermelha e cabelos brancos, seus olhos tinham a cor e um leve brilho prata, foi caçado como Aberração e cresceu violento sempre lutando de forma agressiva, nutrindo um ódio enorme pela raça dos elfos que descriminava na época toda e qualquer criatura diferente deles. JedanDuble participou e liderou muitas guerras importantes, A guerra dos seis povos, a queda do reino de Antares e a guerra contra os 15 reis do mundo. JedanDuble foi o primeiro titã a criar seu coração de Aeternus (Rubi) podendo assim dividir sua imortalidade com sua escrava Evanenc.

Teorias criadas através do estudo de relatos históricos, dizem que seres escarlates surgem com a união de uma criatura mortal com um ser extra-planar (seja divino ou demoníaco). Visto que ambas as criaturas existiram na mesma época, acredita-se que os dois foram criados pela mesma entidade, pois apresentavam as mesmas características apesar da diferença racial.

escarlate_by_rodjer-d6j5j8g

A Capital de Aeternus

Localizado no que dizem ser o centro do mundo único, O reino do Splendor é tão vasto e grande que abriga dentro de si, o lago Ionad que se formou do local onde existia a lendária árvore yggdrasil, O reino tem extensão total igual a 9 reinos, Cercada por muros altos e largos o suficiente para conter o ataque de inúmeros gigantes, inúmeras balestras carregadas com arpões poderosos suficientes para abater vários dragões. Suas ruas largas de tijolos feitos de pedra vulcânica, permitem o transito de duas carruagens em sentido contrário sem atrapalhar o fluxo de passageiros pedestres. As vias principais tem o dobro do tamanho, a Praça da união dourada, ostenta um pilar central onde a primeira imperatriz Fassa, tem uma enorme estátua erguendo orgulhosa sua lança Zefiros, em relevo no pilar, imagens dos heróis que ajudaram a Imperatriz Fassa em sua ascensão ao trono imperial.

O Reino todo foi planejado por engenheiros anões, decorado por artesões elfos, levantados por mãos humanas e de meio-Orcs, Elfos Negros e Meio-Dragões deram suporte mágico em alguns aspectos do reino. O reino tem construções de mais de 5 andares, agua encanada para cada construção, iluminação noturna através de cristais de luz, sistema de saneamento básico em todos estabelecimentos, comercio livre e fixo dentro do reino, guildas que prestam suporte e treinamento a diversas classes de aventureiros, Parques e jardins com solo tão fértil que apresenta diversas espécies de plantas e flores, pequenos lagos naturais e alguns artificiais correm pelo reino com diversos peixes coloridos.

O castelo do imperador possui 9 andares, para chegar até o salão principal é preciso passar por longas escadarias que levam até uma guarnição, somando o total de 12 guarnições, cada uma dela liderada por um capitão imperial. No interior do castelo está plantada a Arvore Imperial.

4928834_orig

O Rei dos Mortos e seus apóstulos

Esta é a história de um casal que foi separado pelas forças das trevas. Esta é uma história muito triste.

Dois jovens aventureiros se conheceram durante a travessia para o caminho de Balmor. Um elfo negro e uma meio- dragão fêmea, se apaixonaram logo nas primeiras aventuras, e iriam se casar. Tinha tudo para ser uma história feliz, mas foi ai que os Deaths Kinghts convocaram o casal e o levaram para o reino de Cieu.

Muito tempo se passou e o Jovem elfo negro volta como um general dos Death kinghts, mas ao invés de liderar as forças de Brabeus ( Líder de todos Death Kinghts) ele vai até a presença de um rei e pede para se unir as forças de Aeternus contra Brabeus.

Ele pretende se vingar de Brabeus e sua rainha da morte pelo o que aconteceu com ele, outra coisa que ele pretende fazer é encontrar sua amada e seu filho. . .O rei em questão sugeriu um teste a ele. Se ele passa-se seria aceito nas terras de Aeternus. O teste foi simples, ele deveria ser escoltado desde o portão principal da cidade até o portão do castelo, porem ele estaria assim vulnerável a hostilidade do povo. Se ele chega-se vivo e sem matar ninguém ele passaria no teste.

Ele passou no teste, e hoje é conhecido como o Rei da morte, que procura sua amada, e lidera a guilda dos Apóstolos, segue sua busca pelos mares abordo no seu navio fantasma chamado “Noite de Bruxa”.

Apesar de todo seu poder ele não parece ter encontrado sua amada. Mas uma coisa é certa, ele terá sua vingança contra Brabeus

imageproxy

Curiosidades e números históricos

  • O primeiro grupo de Aeternus teve 4 personagens: Maruac (Paladino), Dark Slayer Zero (Xamã), Gatts (Guerreiro), Musou (Guerreiro).
  • O grupo com maior número de jogadores teve 9 jogadores na mesa.
  • O primeiro personagem de jogo a se casar e aposentar-se da vida de aventura foi Gatts.
  • O primeiro personagem player killer foi Enzann e o primeiro Pklizado foi Diegusticus (por curiosidade os dois são irmãos).
  • O primeiro Império de jogador foi Drimma
  • O primeiro Reino de jogador foi o Reino de Angra.
  • O primeiro Clan criado foi o clan: Gladius.
  • A primeira Guilda foi os Baiseikodans.
  • A primeira personagem mulher foi Lian (Valkiria).
  • A primeira Imperatriz jogadora foi Frestra (hunter)
  • Primeiro monge: Whong Fei.
  • Primeiro espadachim: Xinaidah.
  • O primeiro Espadachim n°1 foi Maruac
  • A primeira quest com mais de 100 opções foi: Xagrado Sagrado.
  • O primeiro Top level do jogo foi Dark Ilusion Nível: 2560.
  • O primeiro a conseguir um coração de Aeternus foi: Slar Mortus (coração de Aeternus de diamante).
  • O primeiro personagem transferido de outro sistema e virou PdQ foi Sugiro Kemora  Nível 60 (Espadachim).
  • A primeira quest com o maior número de mortos foi: A cidade assombrada.
  • O primeiro que editou e adaptou uma ficha foi: Miushi (mago).
  • A primeira personagem de jogadora feminina a chegar ao nível: 10 foi: Lara (Death Knight)
  • A primeira personagem de jogadora feminina a passar do nível: 20 foi: Agata (guerreira nível:30).
  • Atualmente o Sistema Aeternus RPQ conta com mais de 15 cadernos de quest, e mais de 122 quests escritas a mão.
  • Mais de 67 personagens criados.
  • O jogador ou jogadora mais velho teve 45 anos, e a ou o jogador mais novo teve 9 anos.
  • O item mais antigo do jogo ainda em ação é a Lendária espada Danbyung do reino de Lungra.
  • Tempo de quest mais longa durou 5:24hs de jogo.

Estes são dados coletados dês de 2/11/2004 até 25/06/2017.

920x920

Os pecados de Kyten

Assim que terminou a batalha de Hero contra Dark Shannoa, o semideus voltou para junto dos deuses, levando a chama da esperança até as estrelas, fazendo com que seu calor e sua luz ilumine a todos os seres do mundo único. Os destroços dos Artefatos divinos de Hero foram coletados por um sábio Dragão ferreiro, juntando todos os fragmentos dos artefatos, ele usou suas chamas para aquecer a fornalha, usando liga de Oricalcum com poeira estrelar ele conseguiu fundir todos os pedaços e forjou a primeira barra de Titãnita. o metal mais poderoso já feito no mundo dos mortais. com este metal ele criou uma Armadura digna de um deus. Dourada como o sol, ela irradiava uma aura branca de beleza divina, seu elmo lembrava a cabeça de um garanhão, em suas costas um magnifico par de asas luminescentes, num braço portava uma espada feita de aço estrelar e no outro braço um escudo também de aço estrelar. para surpresa de seu criador a armadura era tão perfeita que tinha vida própria, como seus pedaços vieram de artefatos divinos banhados por Ikhor, não foi difícil acreditar que tal milagre não pude-se acontecer.

Existe uma parte faltando da historia desta armadura, Mas dizem que seculos depois esta armadura foi utilizada por um outro Semideus, Herictorius era filho da deusa da guerra, regia os relâmpagos e voava pelos céus na velocidade da luz. Foi cavaleiro de Amaru e Liderou a revolução contra o Santuário dos altos elfos, Furiosos com o feito do cavaleiro, os 15 reis do mundo puniram Herictorius jogando-o no mundo inferior. Dizem as lendas que Herictorius encontrou a Armadura de Kyten sobre uma montanha de armas e armaduras quebradas, Kyten aceita Herictorius como seu novo dono e juntos abriram caminho para sair do mundo inferior.

Motivado pela influencia de Kyten, Herictorius foi confrontar os 15 reis do mundo. Estes mesmo ao ver Herictorius  de posse da armadura Kyten, manipularam a situação de forma que Herictorius enfrenta-se Dark Shannoa antes de chegar até eles. O combate durou um ciclo inteiro, durante a batalha kyten perdeu parte de sua asa, antes de ser erradicada pelo poderoso ataque de Dark Shannoa, Herictorius conseguiu refletir o relâmpago de volta para Dark Shannoa que pela primeira vez foi ferida mortalmente. Herictorius sem força alguma tomba diante de Dark Shannoa que também vai ao chão.

Outro fragmento da lenda conta que quando JedanDuble estava reunindo seu exercito para enfrentar os 15 reis do mundo, um poderoso guerreiro presenteou o Titã e exercito com 108 penas de Kyten, cada uma delas tinha a capacidade de se transformar em uma arma ou armadura, tudo dependendo da vontade e poder de seu dono.

Dizem as lendas que cada uma destas 108 penas representa 1 pecado de Kyten. Estes pecados foram reunidos e selados no templo de Khien, nas terras orientais de Tao Shun. Afirma-se que Shinigamis usam estas penas como armas para julgar as criaturas extra-planares.

God_Pegasus_ok-450